Aqui é lá!

Tudo o que quero e anelo
Longe de mim sempre está
Mas estendo o meu braço teimoso
Tentando a utopia tocar

Olho com fé para a frente
Não sei o que vem por aí
Quem sabe o choro do infante
Ou o velho que insiste em sorrir

E assim, me faço, refaço 
Com um gesto singelo e profundo
Mantendo a luz na memória
Que quer inventar novo mundo.


Comentários

Postagens mais visitadas