Paixão insana...


Descontrola-me a paixão!
Essa força, metáfora do fogo.
Tensão e tesão, larva de vulcão.
Dissonante na pauta musical
Que levanta todo o meu astral e me deixa singular.
Mal estar gostoso de sentir.
Trágico luar das noites sem estrelas
Que ilumina, tão somente, pequenos cacos de telhas.
Barro todo informe e macio,
Vermelho, úmido se moldando
No penhasco dos meus mais remotos sonhos.
Salto no vago precipício, sem chão para pousar, sem asas pra voar.
O corpo em meio aos ventos debate o insano intento da fé pra se jogar,
Sem aparas pra agarrar.
É o doce amargo na boca.
Longe dos abraços e beijos
Arrefeço o poder dos desejos...
E mergulho no fundo profundo
Sentindo-me qual moribundo
Que em meio ao silêncio gritante
Enfrenta o temor fulgurante
Perdendo o sentido do mundo.

Comentários

Postagens mais visitadas