À propósito dos 494 anos da Reforma

Porque o salário do pecado é a morte, mas o dom gratuito de Deus é a vida eterna em Cristo Jesus, nosso Senhor”. Rm. 6. 23. Ao lermos esse verso, precisamos perguntar: o que é pecado? Ora, sem delongas, pecado é toda e qualquer ação que contraria a justiça e o amor de Deus. O verso 18 de Romanos 1 afirma: “A ira de Deus se revela do céu contra toda impiedade e perversão dos homens que detêm a verdade pela injustiça”. Assim, pecado não se refere a questões da vida cotidiana, mas sim a dimensões onde o ser humano se apossa da verdade com base na injustiça. As pessoas que assim agem mudam a glória de Deus e acabam sendo entregues à morte. Ora, dessa forma, a tribulação virá sobre os homens que desobedecem a verdade e praticam a injustiça, conforme: Rm 2.8.
Isso implica dizer que todos estamos imersos em uma dimensão de pecado, como está escrito: “Não há justo, nem um sequer, não há quem entenda, não há quem busque a Deus; todos se extraviaram, à uma se fizeram inúteis; não há quem faça o bem, não há nem um sequer”. Rm. 3.10 a 12. Isso concorda com verso 23 do mesmo capítulo: “Todos pecaram e carecem da gloria de Deus”. Dessa forma, somente é possível uma justificação por intermédio da graça, mediante a fé. É simples assim. Trocando em miúdos: 1. Somos pecadores e ninguém escapa; 2. Essa nossa condição muda a glória de Deus; 3. Somos salvos dessa condição pela justificação; 4. A justificação é gratuita; 5. Ela é oferecida de graça; 6. Por intermédio da fé; 7. Pela redenção que há em Cristo Jesus. A Reforma Protestante que hoje é celebrada por nós, convida-nos a novamente refletirmos sobre esse grandioso presente: a graça de Deus. Além disso, a Reforma é a confirmação doutrinária de que “Justificados, pois, mediante a fé, temos paz com Deus por meio de nosso Senhor Jesus Cristo”. Rm. 5.1. Há uma reconciliação. Não ficamos á mercê dos nossos próprios instintos ou certezas, mas dependentes da graça de Deus, e isso é bom. E nesse ponto, fico com as palavras de Wesley: “Se então os pecadores encontram favor de Deus é ‘por graça sobre graça!’ Se Deus ainda condescende em derramar bênçãos sobre nós, sendo a salvação a maior delas, que podemos dizer a respeito dessas coisas senão: ‘Graças a Deus por seu dom indizível’”, conforme relatado no sermão: “Salvação pela fé”.

Comentários

Lilian disse…
Oi Moisés,

Parabéns pelo texto simples, mas muito edificante.Muito bom saber que a graça de Deus nos é concedida apesar de não merecermos...que ela é maravilhosa e superabundante.
Deus derrame sobre sua vida "graça sobre graça".Beijão,Lilian

Postagens mais visitadas