O AMOR QUE PODE TUDO

Acho que o nosso mundo precisa de mais amor. A despeito da dificuldade de se viver o amor na atualidade, vale ainda à pena ressaltar que somente pelo amor realidades díspares serão transformadas. O amor é, indubitavelmente, a maior e mais significativa força do universo.
O apóstolo Paulo, sabedor desse princípio, escreveu o seu lindo poema sobre o amor que ficou registrado no livro de Coríntios, mais precisamente no capítulo 13. Esse poema ressalta, logicamente, o Amor ágape, ou seja, o amor ilimitado. Rubem Alves em uma das suas crônicas sobre o amor define ágape de uma forma inusitada. Ele afirma que somente Deus pode amar coisas que não são convidativas ao amor. Mas, em contraposição, este autor ressalta também que o amor de Deus não possui somente essa característica de ágape, mas também de eros. Eros é, segundo Freud, o princípio ativo da vida e das paixões. Então, além do fato de Deus amar o não-apreciável, Ele, com certeza, também ama com intensidade prazerosa os seres humanos e toda a sua obra criada.
Wesley, o fundador do movimento Metodista, possui uma apreciação expressiva sobre o amor de Deus. Aliás, a base da teologia da graça, evidenciada no pensamento dele, está na manifestação amorosa de Deus entre os seres humanos. Wesley tem o cuidado de falar do amor numa referência muito bonita. Ele ressalta que o amor de Deus – e também o que deve se manifestar entre nós – é o amor humilde, ou seja, o amor despojado que se expressa em vivências cotidianas marcadas pela humildade.
Particularmente, entendo que o amor humilde e prazeroso, presente na contingência da vida, pode mudar tudo em nossa vida. E quando digo tudo, é tudo que quero dizer. Em outras palavras, sigo a lógica de Santo Agostinho. Ele disse: “Ama e faze o que quiseres”, então, quando se ama verdadeiramente e realmente, tudo se torna possível.
No que se refere à comunidade de fé, não entendo outra dinâmica possível para acontecer nos relacionamentos e práticas missionárias que não seja o amor. Aliás, sempre acho – acho não na perspectiva de um “achismo”, mas de uma possibilidade a ser concretizada – que quando se ama, todas as coisas se tornam possíveis, e assim se concretizam não por causa da demanda por sucesso ou vitória, mas pela dinâmica da transformação. O tudo está diretamente ligado à dinâmica da transformação.
Que minha vida e sua vida experimentem esse amor que pode tudo mudar, melhor afirmando, o amor que pode tudo transformar.

Comentários

Postagens mais visitadas